Um drone israelita caiu hoje e outro explodiu no ar no sul da capital do Líbano, Beirute, uma fortaleza do Hezbollah, segundo uma fonte do movimento extremista islâmico xiita citada pela agência de notícias Associated Press.

O incidente ocorreu algumas horas depois de ataques israelitas na vizinha Síria.

O Líbano e a vizinha Israel ainda estão tecnicamente em estado de guerra. Regularmente Beirute acusa o Estado judeu de violar o seu espaço aéreo com aviões ou drones.

Considerado por Israel e pelos Estados Unidos como uma organização terrorista, o Hezbollah é um importante ator político no Líbano, onde está representado no Governo e no parlamento.

O último grande confronto entre o Hezbollah e Israel data de 2006, quando 33 dias de guerra em julho fizeram 1.200 mortos do lado libanês, e 160 do lado israelita.

Nos últimos anos, a persistente hostilidade entre Israel e o Hezbollah manifestou-se na Síria, onde o movimento libanês, tal como o Irão, outro arqui-inimigo do Estado judeu, intervém militarmente para apoiar o regime de Bashar al-Assad.

No final da noite de sábado, aviões israelitas estiveram envolvidos em ataques na Síria para impedir que uma força iraniana lançasse um ataque a Israel com aviões não tripulados, segundo o Exército do Estado judeu.

Do lado sírio, uma fonte militar citada pela agência oficial de notícias Sana disse que a defesa antiaérea do Exército entrou em ação no sábado à noite para neutralizar os "mísseis israelitas" que visavam os arredores de Damasco, a capital da Síria, garantindo que a maioria tinha sido destruída antes de atingir os alvos.

Israel realizou centenas de ataques na Síria desde o início da guerra naquele país em 2011, a maioria deles visando alvos iranianos ou do Hezbollah, de acordo com o Estado judeu.