O autodenominado Estado Islâmico voltou a entrar na cidade de Palmira, nove meses depois de a ter perdido para as foças do Governo de Bashar Al Assad. Os jihadistas tomaram conta da cidade durante 10 meses, destruindo obras de arte e monumentos, até março deste ano, quando as forças sírias a recuperaram.

De acordo com ativistas de direitos humanos, os jihadistas lançaram uma ofensiva no final da semana passada e conseguiram voltar a entrar na cidade.

“O Estado Islâmico entraram na cidade no sábado e agora ocupam agora o noroeste da cidade”, adianta Rami Abdel Rahman, do Observador Sírio dos Direitos Humanos.

 

“Também há registo de combates com o Exército sírio, no centro da cidade”, acrescentou.

Durante os 10 meses de ocupação, o Estado Islâmico destruiu dezenas de monumentos Património Mundial da Humanidade.