A Rússia, apoiante do regime de Bashar al-Assad, chegou a acordo, esta terça-feira, com os rebeldes sírios, que ainda ocupavam e combatiam na zona leste de Alepo, para uma retirada pacífica da cidade.

Vitaly Churkin, embaixador russo na ONU, disse, depois da uma reunião de emergência no conselho de segurança das Nações Unidas, que “de acordo com as informações, recebidas nas últimas horas, as ações militares a leste de Alepo terminaram”. 

O governo sírio recuperou o controlo sobre o leste de Alepo”, disse Churkin, garantindo ainda que não se trata de um cessar-fogo ou de alguma operação humanitária especial.

Questionado sobre que destino irão tomar as pessoas retiradas da cidade, o embaixador russo referiu que cada um escolheu para onde quer ir.

Combatentes e familiares estão a sair da cidade por corredores acordados entre ambas as partes e nas direções que escolheram voluntariamente, incluindo a cidade de Idlib”, ainda controlada pelos rebeldes.

Leia também: Mais de 10 mil civis fugiram do leste de Alepo em 24 horas

O acordo para a retirada pacífica dos rebeldes da cidade de Alepo é uma das maiores vitórias do presidente Bashar al-Assad sobre o conflito militar, em particular na recuperação do controlo sobre a maior da Síria desde que tinha sido dominada pelos rebeldes em 2012.