A ofensiva do exército sírio em Alepo (norte) nos últimos dias obrigou 30.000 civis a deixarem as suas casas e o número está a aumentar hora a hora. O alerta foi feito esta quinta-feira pelo enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura.

Staffan de Mistura precisou que aquelas 30.000 pessoas foram as que fugiram da zona oriental da cidade – controlada pelos rebeldes – nos últimos dias, mas que o número total de deslocados da cidade ascende a 40.000.

Mas, na terça-feira, o Observatório Sírio dos Direitos Humanos indicou que que já eram 50.000 as pessoas que tiveram de abandonar as suas casas em Alepo oriental..

Um dia depois, o responsável pelas operações humanitárias da ONU, Stephen O’Brien, considerava que a parte oriental de Alepo  está em risco de se tornar “um gigantesco cemitério” caso os combates continuem e a ajuda humanitária permaneça bloqueada.

O Conselho de Segurança da ONU realizou uma reunião de urgência sobre a situação crítica no leste da cidade síria de Alepo, por solicitação da França.

Redação