Cerca de 300 mil refugiados sírios na Turquia regressaram a casa depois de duas operações militares turcas em território sírio em 2016 e 2017, revelou este sábado o ministro da Administração Interna turco, Suleiman Soylu.

O número de sírios refugiados na Turquia “que regressaram ao seu país eleva-se a 291.790”, após estas duas ofensivas militares, disse Suleiman Soylu, que falava na província de Edirne, a nordeste do país.

A partir de agosto de 2016 o exército turco e grupos rebeldes sírios lideraram uma ofensiva chamada “Escudo do Eufrates”, no norte da Síria, contra o grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI).

Entre janeiro e março deste ano, grupos rebeldes sírios e o exército turco lideraram também uma ofensiva contra as forças curdas das Unidades de Proteção do Povo (YPG), uma milícia curda considerada como um grupo terrorista por Ancara, com o objetivo de as expulsar da região de Farine (noroeste da Síria), que estava sob seu controlo.

Na semana passada, o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou lançar “em alguns dias” uma nova operação contra a milícia das YPG no norte da Síria. Ancara considera as YPG, aliadas dos Estados Unidos na luta contra o “Estado Islâmico”, como uma emanação síria dos rebeldes curdos da Turquia.

No entanto, depois do anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de retirar as tropas americanas da Síria, o presidente Erdogan disse na sexta-feira que as ofensivas previstas contra as YPG e o EI vão acontecer “nos próximos meses”.

A Turquia acolhe 3,5 milhões de sírios, em fuga da guerra no seu país, e cerca de 300 mil iraquianos.

Em 2017, cerca de 96 mil afegãos chegaram à Turquia, dos quais 30 mil foram obrigados a regressar ao Afeganistão, disse o ministro. Também em 2017 outros 46 mil afegãos que tentaram entrar ilegalmente na Turquia foram intercetados, acrescentou o responsável.