Um sismo de 7,7 na escala de Richter, sentido este domingo ao largo do Chile, levou as autoridades a emitirem um alerta de tsunami, mas não há informação de vítimas até ao momento. Os danos materiais são, no entanto, já visíveis. Já se registaram também várias réplicas, segundo o twitter da CNN Chile. 

De acordo com o departamento norte-americano que monitoriza os terramotos (USGG), a intensidade do abalo foi revista de 7,6 para 7,7 na escala de Richter, mas segundo o Centro Sismológico do Chile teve uma magnitude de 7,6 graus na escala de Richter.

O epicentro teve lugar no mar, a 225 quilómetros de Puerto Montt, e com uma profundidade de 15 quilómetros, segundo noticia a Reuters. Quéllon localiza-se na Ilha Grande do arquipélago de Chiloé, no sul do país, e o terramoto foi registado às 11:22 horas locais, 14:22 GMT. 

A violência do tremor levou as autoridades norte-americanas a emitirem um alerta de tsunami para as regiões que ficam num raio de mil quilómetros do epicentro. A Proteção Civil chilena evacuou as zonas, num contrarrelógio, já que eram aguardadas as ondas gigantes em pouco tempo. Mais concretamente, na região de Los Lagos, que se receava sofrer um grande impacto. Mas o pior parece ter passado.

Mantém-se, no entanto, algum grau de precaução. As regiões afetadas pelas ordens das autoridades são Biobío, La Araucanía, Los Lagos e Los Ríos, em território continental chilena, disse Alejandro Vergés, diretor regional do Gabinete Nacional de Emergência, de Los Lagos ao canal televisivo TVN.

   
Carmen Fialho / Notícia atualizada às 16:10