Uma bebé de 22 meses foi encontrada viva, depois de ter estado desaparecida durante quatro dias, numa floresta na região de Smolensk, na Rússia.

O alerta foi dado depois da menina, Lyuda Kuzina, se ter perdido quando seguia a mãe e irmã mais velha, que tinham ido a casa de um vizinho.

No local, estiveram 400 voluntários a fazer buscas e uma equipa de mergulhadores a verificar os reservatórios próximos, mas, inicialmente, não encontraram nada.

Quatro dias depois, quando um dos grupos de busca estava a fazer uma pausa para descansar, a 4 km da casa da criança, começaram a ouvir um barulho.

Lyuda, que andou quatro dias sem comida e sem água, foi encontrada viva, perto de uns ramos, cheia de picadas de insetos.

Os voluntários disseram-me que não tinham estado longe do local no primeiro dia. No entanto, foi apenas no quarto dia que ouviram um 'rangido' e a encontraram entre alguns ramos, debaixo de uma árvore", afirmou a mãe da menina, citada pela BBC.

A criança foi levada para o hospital infantil de Smolensk e está agora à espera de ter alta.

Ela nunca mais vai fugir da mãe, ela prometeu-me. Não sei se ela vai cumprir essa promessa, mas pelo menos ela diz que sim", afirmou a mãe, ao jornal russo Komsomolskaya Pravda.

Redação / IC