Um líder islâmico e pelo menos 17 dos seus seguidores foram mortos hoje por extremistas do grupo al-Shabab num ataque na cidade de Galkayo, no norte da Somália, segundo a polícia.

Dois homens-bomba causaram uma explosão em frente à residência do líder islâmico, Abdiweli Ali Elmi, que também é um santuário, e quatro homens armados invadiram o prédio e abriram fogo, afirmou um dos elementos da polícia em Galkayo, Ahmed Awale, citado pela agência de notícias Associated Press (AP). Pelo menos 20 outras pessoas ficaram feridas, acrescentou.

Forças de segurança somalis responderam. Três atacantes foram mortos no tiroteio e um foi capturado vivo, segundo Awale, avança a AP.

O grupo extremista islâmico al-Shabab assumiu a responsabilidade pelo ataque.

O ataque matou o xeque Abdiweli Ali Elmi, que tem centenas de seguidores. Alguns dos seus vídeos têm causado alguma polémica, já que mostram o próprio e alguns dos seus seguidores a cantar poemas religiosos com música, o que alguns radicais consideram não se coadunar com as leis islâmicas.

Sheikh Elmi defendeu as suas ações, dizendo que a música não é contrária aos ensinamentos islâmicos.