O vulcão da ilha de Stromboli, na Sicília, entrou "dramaticamente" em erupção na quarta-feira, segundo descrevem as autoridades italianas, surpreendendo um casal que caminhava dentro da zona de segurança e obrigando vários turistas a fugir em direção ao mar.

Um homem morreu, um italiano de 35 anos, enquanto a mulher que o acompanhava, uma turista brasileira, foi encontrada desidratada e em estado de choque.

Os turistas que visitavam a ilha refugiaram-se em casas - a pequena ilha é habitada - e junto ao mar. Alguns ficaram feridos, mas sem gravidade.

O padre de Stromboli descreveu a erupção como um "inferno".

Parecia o inferno, com a chuva de fogo que vinha do céu", afirmou Giovanni Longo, citado pela agência de notícias ANSA.

De acordo com as autoridades italianas, foram registadas duas explosões de grande dimensão cerca das 14:46, hora local, uma delas a mais forte alguma vez registada na ilha.

A erupção lançou no ar lava e fragmentos de fogo, originando, ainda, vários focos de incêndio.

"Há muito tempo que não tínhamos uma erupção desta dimensão", disse o autarca local Gianluca Giuffre, em declarações à RAI.

Os aviões de combate a incêndios não puderam atuar de imediato devido ao denso fumo negro sobre a ilha.

Mas nesta quinta-feira, helicópteros e barcos combatem as chamas na ilha, já depois de cerca de 100 pessoas terem sido retiradas do local. A eletricidade foi já restabelecida.

O Instituto Italiano de Geofísica e Vulcanologia (INGV, na sigla original) está a monitorizar o Stromboli.

A ilha de Stromboli, que faz parte do arquipélago das Ilhas Eólias, é visitada todos os anos por milhares de turistas.