As autoridades das áreas costeiras da Índia e do Bangladesh estão a evacuar milhões de pessoas perante a ameaça de um super ciclone, que se aproxima da Baía de Bengala.

No entanto, o surto do novo coronavírus está a dificultar os trabalhos, uma vez, mesmo perante este cenário, terão que ser mantidas as regras de distanciamento social, de forma a evitar a propagação do vírus.

De acordo com os serviços meteorológicos, nota a BBC, o ciclone Amphan deverá afetar a área próxima à fronteira dos dois países já esta quarta-feira, com ventos que podem chegar aos 185 km/hora.

Mais de 20 equipas de socorro já foram destacas para a área e outras estão prontas para entrar em ação, sublinham as autoridades indianas.

As mesmas, temem que esta seja a tempestade mais forte desde o ciclone Sidr, em 2007, que matou cerca de 3.500 pessoas, a maioria devido às cheias.

O ciclone ocorre numa altura em que milhares de trabalhadores migrantes fogem das cidades para as suas aldeias durante o confinamento na Índia, para conter a propagação do novo coronavírus.

E a ameaça é ainda mais assustadora, uma vez que, na rota da tempestade, está um dos maiores campos de refugiados do mundo em Bangladesh, onde vivem perto de 1 milhão de Rohingyas, depois de terem sido expulsos do seu país.

Lara Ferin