As autoridades de Taiwan mandaram abater, no sábado, 154 gatos, depois de os terem resgatado de um navio de contrabando de animais de estimação.

Os animais estavam a ser transportados dentro de 62 jaulas, num navio vindo da China.

Segundo funcionários governamentais, os gatos foram abatidos devido à sua origem desconhecida e às doenças que poderiam trazer para o país.

A medida drástica criou uma onda de indignação entre a população e entre os grupos de defesa dos direitos dos animais.

Será que Taiwan não tem capacidade de quarentena? Será que matam gatos inocentes desta maneira?",questionou um comentador, citado pelo jornal The Guardian.

O presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, diz estar triste com os acontecimentos , mas pediu ao público para compreender a necessidade de impedir a importação inadvertida de doenças.

Uma ONG local, a Taiwan Animal Emergency Rescue, ofereceu-se para pagar a quarentena dos animais e criticou a rápida decisão dos responsáveis.

Os animais são inocentes. Existem regras sobre regulamentos fronteiriços, mas podem efetivamente verificar se os animais estão doentes ou não", afirmou um porta-voz da ONG.

Chen Chi-chung, chefe do conselho de agricultura do governo, manteve-se fiel à decisão e assumiu total responsabilidade pelo sucedido.

Mesmo após a quarentena, estes gatos poderiam ainda carregar doenças devido aos longos períodos de latência dos vírus, que poderiam constituir uma grande ameaça para os animais de estimação e de criação em Taiwan", disse Chen, de acordo com o Taipei Times.

Redação / IC