Um rapaz de sete anos que foi atirado ao chão 27 vezes durante um treino de judo morreu em Taiwan. 

Em abril, o rapaz sofreu uma grave hemorragia cerebral após uma aula em que um colega de turma e o treinador utilizaram-no como exemplo para demonstrarem técnicas de arremesso. 

Num vídeo tornado público é possível ver a vítima a ser atirada ao chão várias vezes durante a demonstração de um movimento. Apesar dos repetidos apelos da criança para que parassem, o treino só terminou quando ficou inconsciente.

Na demonstração do movimento técnico, o rapaz queixou-se de dores na perna e na cabeça, mas o seu treinador obrigou-o a levantar-se e deu ordens ao aluno mais velho para o voltar a atirar ao chão. Demasiado fraco para se levantar, o treinador afastou o aluno e levantou ele próprio o menino, atirando-o várias vezes contra o tapete até a criança começar a vomitar.

O menor, que não foi identificado, mais tarde entrou em coma e foi internado nos Cuidados Intensivos.

Após quase 70 dias, os pais decidiram retirar o filho do suporte de vida, avança a comunicação social local. 

O treinador da vítima, que tem quase 60 anos, foi acusado de agressão violenta e de uso de menores para cometer um crime, segundo o site de notícias local Taipei Times.

O treinador, identificado apenas pelo sobrenome Ho, foi libertado no início do mês de junho após pagar uma fiança de cerca de três mil euros.

Se for considerado culpado, o agressor pode enfrentar um mínimo de sete anos de prisão. Mas a punição pode ir até prisão perpétua, afirma o relatório de acusação.

Redação / HCL