A seleção inglesa ameaça parar o jogo frente à Bulgária caso algum dos seus jogadores seja alvo de insultos racistas.

Recorde-se que Inglaterra defronta a Bulgária no estádio Vasil Levski, em Sofia, com capacidade reduzida, depois do castigo da UEFA por causa de abusos racistas contra os jogadores da República Checa e do Kosovo em junho.

Tammy Abraham, avançado do Chelsea, disse aos jornalistas que a equipa já teve «reuniões para decidir como agir nessas situações.»

«Harry Kane disse que se acontecer falamos com o jogador afetado e, se ele não estiver satisfeito, saímos todos do campo. É um assunto que diz respeito à equipa. Não personalizem, somos um grupo. Se acontece a um de nós, acontece a todos», apontou o jogador.

A Federação Inglesa afirmou que, caso seja detetada alguma situação de racismo, vai seguir os três passos definidos pela UEFA: reportar a situação ao árbitro, que pede um anúncio no estádio, e, caso isso não resolva o problema, aí sim, os jogadores serão retirados do campo.

Mas Tammy Abraham diz que a equipa decidirá na altura o que fazer. «Independentemente do resultado que estiver no marcador, se não estivermos satisfeitos com a situação, como equipa, decidiremos sair ou continuar.»