O multimilionário, Elon Musk, conhecido pelas suas excentricidades, revelou que uma porca, chamada Gertrude, tem um chip de computador do tamanho de uma moeda no cérebro. O objectivo é demonstrar a possibilidade de concretizar o seu ambicioso plano de criar um interface cérebro-máquina que seja funcional.

"É como um Fitbit no cérebro com pequenos fios", disse o empresário citado pelo site da BBC News para os EUA  e Canadá.

De resto, a sua startup Neuralink candidatou-se ao lançamento de testes em humanos no ano passado.

Diz a BBC News, que o interface pode permitir que pessoas com problemas neurologicos controlem telefones ou computadores com a mente.

Musk afirma que estes chips podem, eventualmente, ser usados ​​para ajudarem a curar doenças como a demência, doença de Parkinson e lesões na medula. Mas a ambição de longo prazo é inaugurar uma era que o engenheiro de formação já apelidou de "sobre-humano cognitivo", em parte para combater a poderosa inteligência artificial que Musk acredita que pode destruir a raça humana.

Gertrude foi uma das três porcas que participaram na demonstração na internet na sexta-feira passada.

Demorou um pouco para começar, mas quando cheirou e comeu, a ação do animal apareceu num gráfico que rastreou sua atividade neurológica. Aparentemente, o processador que tem no cérebro envia sinais sem fio, indicando atividade neurologica no focinho ao procurar comida.

/ ALM