Cerca de 20 países da União Europeia (UE), incluindo Portugal, propuseram esta quinta-feira a candidatura de Tedros Adhanom Ghebreyesus à sua própria sucessão na liderança da Organização Mundial da Saúde (OMS), pouco antes do final do prazo limite.

Os Estados-membros da OMS deveriam designar os candidatos até às 18:00 locais (17:00 em Lisboa). Na quarta-feira, a Alemanha tinha oficialmente anunciado que proporia a recondução de Tedros, que parece surgir como o único candidato.

Apesar de Tedros ainda não ter oficializado a sua candidatura, o apelo de Berlim foi atendido, e esta quinta-feira cerca de 20 países da UE propuseram esta quinta-feira a candidatura do médico etíope, indicaram fontes diplomáticas citadas pela agência noticiosa AFP.

Cada um destes países, onde se inclui Portugal, e ainda a Áustria, França ou Espanha, entregaram um envelope selado à OMS.

Estes envelopes não serão abertos pela OMS antes de 01 de outubro. De seguida, e passadas algumas semanas, a lista de candidatos será transmitida aos Estados-membros da organização antes de serem divulgados publicamente.

Tedros Adhanom Ghebreyesus tornou-se em 2017 o primeiro africano a assumir a chefia desta poderosa agência da ONU, na primeira linha desde o início da pandemia, e tornando-o numa das figuras mais familiares da luta contra o Covid-19.

Agência Lusa / NM