Os termómetros na região da Antártida atingiram os 20,75ºC pela primeira vez esta quinta-feira. Uma temperatura que superou o recorde registado na semana passada de 18,3ºC.

O investigador brasileiro Carlos Schaefer disse à Agêncie France-Presse que “nunca foi sentida uma temperatura tão alta” no continente. Shaefer faz parte de uma equipa de cientistas integrados no Projeto Terrantar que detetaram o avanço dos termómetros na Ilha Marambio, na extremidade da península.

  

A ilha onde foi registada a temperatura recorde é classificada como uma “região sentinela” pela intensidade das variações climáticas e pela necessidade de estas serem constantemente monitorizadas.

Carlos Schaefer argumentou, no entanto, que o registo da temperatura na “região sentinela” não está incluída num estudo abrangente sobre as mudanças climáticas na Antártida e não pode ser visto como uma tendência.

Não podemos utilizar esta informação para antecipar mudanças climáticas no futuro. É simplesmente um sinal de que algo de diferente está a acontecer na área”, disse.

 

Estes valores foram atingidos numa altura em que se soube que janeiro de 2020 foi o mês de janeiro mais quente de sempre, em todo o planeta. 

A Antártida é uma das regiões do mundo onde o aquecimento global tem causado maior impacto. De acordo com a Organização Meteorológica Mundial, a temperatura média na Antártida subiu cerca de três graus nos últimos 50 anos e quase todos os glaciares estão a derreter.

Este gráfico mostra como as temperaturas médias no mundo subiram um grau celsius desde a época pré-industrial.