Pelo menos 22 pessoas morreram e três estão desaparecidas, nas Filipinas, na sequência das inundações, deslizamentos de terra e outros desastres causados pela tempestade tropical Usman.

O porta-voz do Conselho Nacional de Gestão e Redução de Desastres, Edgar Posadas, citado pela estação de rádio DZBB, explicou que as mortes ocorreram nas regiões de Bicol e Eastern Visayas, acrescentando que a maioria das vítimas perderam a vida em deslizamentos de terra.

Só em Bicol, localizado no sudeste da ilha de Luzon, registaram-se 16 mortos.

A tempestade tropical entrou nas Filipinas pelo Pacífico e atingiu o continente no sábado, causando inundações, deslizamentos de terra, provocando falhas de electricidade um poupo por todo o país, além de deixar dezenas de milhares de filipinos retidos nos aeroportos e portos.

O serviço meteorológico filipino prevê chuvas moderadas em grande parte do país nas próximas 24 horas por causa do Usman, que deverá deslocar-se depois para o oeste até o Mar da China Meridional.

Em meados de setembro, no norte do país, mais de 80 pessoas morreram e outras 70 foram dadas como desaparecidas na sequência do tufão Mangkhut, que deixou um rasto de destruição em vários países no Pacífico.

As Filipinas são atingidas todos os anos por cerca de 20 tufões, que causam centenas de mortes e agravam ainda mais a pobreza que atinge milhões de pessoas.