As chuvas torrenciais que atingiram a Catalunha durante a última noite já provocaram uma vítima mortal e quatro desaparecidos, de acordo com o último balanço feito pelo conselheiro do Interior do governo regional da Catalunha, Miquel Buch.

Os bombeiros estiveram durante a noite a tentar localizar pessoas, mas foi esta manhã que acabaram por encontrar, na praia Caldes d'Estrac, o corpo de um homem de 75 anos. Tinha sido arrastado pela força da água de um rio, durante a madrugada, na zona de Arenys de Munt, em Barcelona.

Tinha sido confirmada uma segunda vítima mortal, pelo autarca do município de L'Hospitalet de Llobregat, no entanto, os Mossos d'Esquadra, a polícia regional da Catalunha, está ainda a apurar as causas dessa morte, uma vez que pode não estar relacionada com a tempestade. De acordo com o La Vanguardia, tratou-se de um homem de 52 anos que foi atropelado por um comboio na estação de Renfe.

Há ainda registo de quatro pessoas desaparecidas. Segundo o La Vanguardia, uma mãe, com cerca de 70 anos, e um dos filhos, com 40 anos, que moravam num bungalow, em Vilaverd. Estão desaparecidos desde as 22:47 (horas locais, menos uma hora em Lisboa). Os outras duas pessoas desaparecidas pertencem ao município de L’Espluga de Francolí. Os Mossos também estão a realizar diligências para localizá-los.

O escuro da noite dificultou as buscas dos bombeiros e da polícia, que foram retomadas esta manhã com o apoio de meio aéreos e submarinos.

Vilaverde foi uma das zonas mais afetadas. Tanto Miquel Buch como o presidente do governo regional da Catalunha, Quim Torra, devem deslocar-se aos locais mais afetados pelas intensas chuvas das últimas horas.

A força da chuva diminuiu ao longo da manhã desta manhã, tanto em intensidade quanto em extensão, depois de ter caído quase 300 litros de água por metro quadrado em poucas horas. De acordo com as previsões do Serviço Meteorológico da Catalunha (SMC), esta tarde haverá apenas chuvas dispersas, nomeadamente nas regiões do interior, e as ondas podem chegar aos oito metros de altura. 

As autoridades estimam que o caudal dos rios ainda permaneça com grande volume de água. A Proteção Civil mantém o alerta de perigo e recomenda que as pessoas não se aproximem dos rios nesta região.

Nas redes sociais circulam vários vídeos e imagens da intensidade da chuva, das ruas alagadas e dos estragos causados.