Uma juíza apresentou esta terça-feira uma cadela como testemunha num tribunal em Santa Cruz de Tenerife, Espanha. O animal da raça pitbull esteve presente na audiência de dois homens acusados de maus-tratos a animais.

Os factos remontam a 2012, quando Milagros, assim se chama a cadela, foi violentamente atacada por vários cães, todos pertencentes aos dois homens acusados. Com várias mordidelas no pescoço e noutras partes do corpo, os indivíduos optaram por não levar o animal a um veterinário, tendo colocado Milagros numa mala de viagem, deixando-a num caixote do lixo com a cabeça de fora.

A cadela terá permanecido neste estado, bastante fragilizada, por mais de 20 horas, tendo sido depois recolhida por vizinhos, que a levaram ao veterinário, onde ficou mais de um mês a ser tratada.

Durante a fase de instrução, tudo correu como previsto, mas, depois, a juíza Sandra Barrera decidiu chamar Milagros para a audiência. Como a cadela não podia falar, foi explicado que um médico forense e a acusação fariam a sua vez.

Quanto à justificação para a presença do animal no tribunal, diz o El País, citando um documento do tribunal, que a juíza exigiu a presença de Milagros, uma vez que era “necessário que a paciente seja examinada por um veterinário”.

O porta-voz do Tribunal Superior de Justiça das Canárias explicou à agência EFE que esta medida pouco habitual serve para consciencializar a sociedade para o problema dos maus-tratos aos animais.