O estado do Tennessee executou esta quinta-feira um prisioneiro que estava há mais de 35 anos no corredor da morte, a segunda pessoa a ser executada naquele estado norte-americano em pouco mais de um mês.

De acordo com os funcionários do estabelecimento prisional de segurança máxima em Nashville, David Earl Miller, de 61 anos, foi declarado morto às 19:25 (01:25, em Lisboa).

Miller foi condenado à morte pelo assassinato em 1981 de uma mulher com deficiência mental. O homem de 61 anos estava no corredor da morte há 36 anos.

Miller escolheu morrer na cadeira eléctrica.

Há pouco mais de um mês, no dia 1 de Novembro, Edmund Zagorski, também na cadeira elétrica, que só é autorizada em nove estados, e não era utilizada desde 2013 nos Estados Unidos. Naquele estado norte-americano, não era utilizada há onze anos.