A Agência Internacional de Energia (AIE) acredita que as tensões de preços no mercado petrolífero podem abrandar com um aumento da produção nos Estados Unidos maior do que o previsto.

No relatório mensal publicado nesta terça-feira, a AIE mantém as previsões para a procura mundial de petróleo praticamente inalteradas, com um aumento de 5,5 milhões de barris por dia este ano e de 3,4 milhões em 2022.

Por um lado, constata o reforço do consumo de gasolina à medida que as restrições às viagens internacionais são levantadas, mas ao mesmo tempo tem em conta a nova vaga de covid-19 que afeta a Europa e a atividade industrial mais fraca do que o previsto, bem como o efeito dissuasor dos preços elevados dos barris a pesarem em sentido contrário.

A principal novidade, segundo a agência, é o aumento da produção mundial de petróleo, que em outubro aumentou em 1,4 milhões de barris por dia para 97,7 milhões.

Para este aumento, que deverá continuar a uma taxa ainda mais elevada em novembro e dezembro (mais 1,5 milhões de barris por dia por mês), estão a contribuir de uma forma muito particular os Estados Unidos.

De facto, os Estados Unidos são o país a dar o principal contributo para este aumento, tendência que vai continuar em 2022.

/ JGR