A polícia alemã deteve esta quinta-feira dois sírios e um bósnio por alegadamente pertencerem a grupos terroristas ativos na Síria, sendo um dos homens acusado de crimes de guerra, envolvendo a execução de dezenas de civis.

Um sírio de 35 anos identificado como Abdalfatah H. A. é suspeito de ser membro da Frente al-Nusra, um braço armado da Al-Qaeda, e é acusado de 36 crimes de guerra por participar no assassínio em massa de funcionários do governo sírio em 2013, indicam procuradores federais num comunicado.

O outro sírio, Abdulrahman A. A., 26 anos, é alegadamente membro do mesmo grupo jihadista, sendo acusado de gerir os fundos de uma unidade de combate, incluindo veículos e armas.

Os homens foram detidos pela polícia dos estados de Baden-Wuerttemberg e Renânia do Norte-Vestfália, que também efetuou buscas nas suas habitações.

Num outro caso, o estado da Bavaria anunciou a detenção de um bósnio, de 33 anos, suspeito de ter fornecido vários veículos à milícia sunita Junud al-Sham.

Os procuradores federais alemães lançaram cerca de uma dúzia de investigações sobre alegados crimes de guerra cometidos na Síria ou no Iraque, além de dezenas de casos de suspeitos de pertencerem a grupos terroristas.

/ SS