A empresa australiana Ellume retirou mais de dois milhões de autotestes de covid-19 nos Estados Unidos, devido a um risco acrescido de falsos positivos, informaram as autoridades de saúde norte-americanas.

A agência norte-americana de produtos alimentares e medicamentos (FDA, na sigla em inglês) disse que a Ellume recolheu 2,2 milhões de testes desde que foi detetado um problema de fabrico, no mês passado.

"A FDA identificou esta recolha como sendo de Classe I, o tipo mais grave", informou a agência, em comunicado.

A agência norte-americana disse ter recebido 35 relatórios de falsos positivos.

No início de outubro, a empresa de diagnósticos médicos australiana anunciou a recolha de 195.000 dos 3,5 milhões de testes enviados para os EUA, incluindo testes fornecidos ao Departamento de Defesa para utilização em programas comunitários de saúde.

A recolha foi ordenada após relatórios de falsos positivos a níveis anormalmente elevados em alguns lotes.

A empresa alargou mais tarde a recolha para mais de dois milhões de testes, depois de a fiabilidade de outros lotes ter sido questionada.

O teste rápido ao coronavírus da Ellume, um produto de venda livre, foi o primeiro autoteste de deteção do SARS-CoV-2 a receber a aprovação para utilização de emergência nos EUA, no ano passado.

A empresa disse ter retomado a distribuição dos testes aos retalhistas dos Estados Unidos, após ter identificado a causa do problema e posto em prática controlos adicionais.

/ BMA