O funeral do afro-americano George Floyd iniciou-se em Houston, no estado do Texas, duas semanas após a sua morte por asfixia por um polícia branco, cuja morte violenta desencadeou protestos nos Estados Unidos e também à escala global.

É hora de celebrar a sua vida”, afirmou a pastora Mia Wright, na lotada igreja Fountain of Praise, onde familiares e amigos se abraçaram pela primeira vez diante do caixão aberto.

Centenas de pessoas lotaram a igreja, coroando seis dias de luto pela morte de Floyd, de 46 anos, que vai ser enterrado junto da sua mãe.

George Floyd, um afro-americano de 46 anos, morreu em 25 de maio, em Minneapolis (Minnesota), depois de um polícia branco lhe ter pressionado o pescoço com um joelho durante cerca de oito minutos numa operação de detenção, apesar de Floyd dizer que não conseguia respirar.

Desde a divulgação das imagens nas redes sociais, têm-se sucedido os protestos contra a violência policial e o racismo em dezenas de cidades norte-americanas, algumas das quais foram palco de atos de pilhagem.

Os quatro polícias envolvidos foram despedidos, e o agente Derek Chauvin, que colocou o joelho no pescoço de Floyd, foi acusado de homicídio em segundo grau, arriscando uma pena máxima de 40 anos de prisão.

Os restantes vão responder por auxílio e cumplicidade de homicídio em segundo grau e por homicídio involuntário.

A morte de Floyd ocorreu durante a sua detenção por suspeita de ter usado uma nota falsa de 20 dólares (18 euros) numa loja.

/ AG