Ao contrário do que seria de prever depois de conhecidos os resultados do referendo de 2016, à medida que se aproxima a data para sair, que também já foi alterada, aumenta a indecisão em torno do desfecho do Brexit. Theresa May levou já "três negas" da Câmara dos Comuns, e pode levar uma quarta na próxima sexta-feira. 

A indefinição começa a colocar em risco a sobrevivência política da própria primeira-ministra, tendo já Theresa May colocado o lugar à disposição para que o acordo de saída seja aprovado. O plano passa por eleger um novo líder dos conservadores, que substitua May (como aconteceu com David Cameron em 2016), mas o The Times avança que uma ala dos Tory (conservadores) está a preparar-se para eleições gerais antecipadas no Reino Unido. 

O que é preciso para voltar a chamar os eleitores às urnas?

As próximas eleições gerais estão marcadas para 2022, mas há duas formas possíveis de as antecipar: 

1 - Dois terços dos deputados votem a favor da marcação de eleições;

2 - Aprovação de uma moção de censura ao governo e caso nenhum partido consiga aprovar uma alternativa nos 14 dias seguintes;

A maioria dos conservadores parece não apoiar a ideia de marcar eleições, mas uma moção de censura pode ser aprovada por "deputados rebeldes dos Tory".

Quem lideraria os conservadores em possíveis eleições antecipadas?

Apesar de já ter colocado o lugar à disposição e se ter afastado de uma reeleição em 2022, James Cleverly, deputado dos Tory, garantiu, à Sky News, que em caso de as eleições serem antecipadas pode mesmo ser a primeira-ministra a liderar o partido. 

Qual seria a posição dos conservadores sobre o Brexit?

Uma das questões para as quais é difícil encontrar resposta é: o que dirá o programa político dos Tory sobre o Brexit? O partido está fortemente dividido, na semana passada 34 votaram a favor da negociação de um acordo tarifário com a UE, oito votaram contra qualquer acordo. 

Por outro lado, o número de conservadores que se opõe ao acordo passou de 100, na primeira votação, para 34 na da última semana.

O que dizem as sondagens?

Trabalhistas e conservadores, segundo um estudo da Opinium publicado no domingo, estão empatados com 35% nas sondagens. Já uma sondagem requerida pelo Daily Mail dava uma vantagem ao partido de Jeremy Corbyn, 41%, contra 36% dos conservadores. 

Quanto tempo demoraria a marcação de eleições?

Com o Brexit marcado para 12 de abril, o parlamento precisa de pedir uma extensão do artigo 50 para convocar eleições nacionais. É provável, mas não garantido, que a União Europeia aceite o pedido. Segundo o Institute for Government, as eleições podem ser marcadas para o meio do mês de maio, dado os 14 dias necessários para ser formado um novo governo, depois de ser votada a moção de censura.