O carro onde Tiger Woods foi apanhado a dormir ao volante tinha alguns “danos recentes”, segundo revelaram as autoridades norte-americanas, citadas pela CNN.

Depois da detenção do antigo golfista, na madrugada de domingo, por suspeitas de condução sob o efeito de álcool e drogas, a polícia local divulgou novos documentos onde descrevem os estragos da viatura.

O carro onde seguia Tiger Woods tinha as jantes do lado do condutor danificadas, os pneus dianteiros e traseiros do mesmo lado rebentados, arranhões no pára-choques traseiro e a luz traseira do lado esquerdo fundida.

De acordo com as autoridades, no momento da detenção, Tiger Woods estava desorientado e apresentava um discurso incoerente. Depois de ser submetido a um teste de alcoolemia e de urina, os resultados revelaram não existir a presença de qualquer substância.

Na segunda-feira, o golfista prestou declarações, onde afirmou não ter consumido bebidas alcoólicas e que o episódio se deveu a “uma reação inesperada aos medicamentos prescritos”. Tiger, que está a recuperar de uma cirurgia às costas, disse que não se apercebeu que a mistura de medicamentos o afetou "tão fortemente".

"Eu entendo a gravidade do que fiz e assumo todas as responsabilidades pelas minhas ações. Eu vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para evitar que esta situação se volte a repetir."

O golfista também já veio a público pedir desculpas à família, aos amigos e fãs.

A primeira audiência de Tiger Woods em tribunal está marcada para dia 5 de julho.