Numa altura em que cada vez mais vacinas ficam disponíveis para jovens norte-americanos, nos últimos dias tem surgido um grande obstáculo às inoculações: a relação com os pais.

De acordo com uma investigação da Kaiser Family Foundation, 19% dos pais norte-americanos com filhos de 17 ou menos anos afirmaram que, “definitivamente, não iriam permitir que se vacinassem” contra a Covid-19. 

Porém, os adolescentes nem sempre concordam com a postura dos pais, o que cria conflitos dentro do seio familiar.

Não é uma vacina, por definição”, grita um pai frenético do estado norte-americano do Kentucky à sua filha num vídeo do TikTok que se tornou viral esta semana. “É uma prova humana. É terapia genética ... Não é aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration). ”

De acordo com as imagens, fica claro que o pai ofereceu um suborno à filha adolescente - dois mil dólares (1.639 euros), precisou a jovem  - para que não aceitasse ser vacinada.

 

@appaloosauce

Part 1 of this craziness. #covid #covidvaccine #covid19 #coronavirus

♬ original sound - Brianna

 

 

Estás a tentar comprar-me?", perguntou a a filha, Brianna, ao pai.

A pergunta fica no ar durante uns instantes e reflete especialmente a realidade atual em que cada vez mais adolescentes tornam-se elegíveis para receber vacinas contra a covid-19 - A Agência Europeia do Medicamento aprovou esta sexta-feira a utilização de vacinas da Pfizer para pessoas entre os 12 e os 15 anos.

 

 

Achas que estou louco?", interroga perturbado o pai, em jeito de explosão, ao mesmo temo que denota, com horror, que o resto da sua família já foi vacinada. “ A minha família já era! No final desta época de gripe, a maioria de vocês estará morta”, grita.

Em contraste com as afirmações do pai de Brianna, todas as três vacinas Covid-19 autorizadas para uso nos Estados Unidos - Pfizer-BioNTech, Moderna e Johnson & Johnson - provaram ser extremamente seguras e eficazes contra o vírus. A Food and Drug Administration concedeu-lhes uma autorização de emergência, em vez de aprová-las, apenas porque o processo normal poderia ter atrasado o seu uso por meses.

Mas o pai de Brianna não está sozinho. Kelly Danielpour, uma jovem de 18 anos de Los Angeles, coordena um site chamado VaxTeen, que fornece recursos para adolescentes que lutam contra pais negacionistas. 

Danielpour disse à NBC News que começou o site antes da pandemia, mas atualmente a maioria das perguntas que ela recebe são sobre Covid-19. “Tenho sorte porque os meus pais são pró-vacina, mas parece haver muitos adolescentes cujos pais se opõem a permitir que sejam vacinados”, disse.

Entre os milhares de comentários no vídeo de Brianna, que já tem mais de 13.500 ‘gostos’, muitos disseram que passaram por algo semelhante com os próprios pais.

Por outro lado, segundo o recente estudo da Kaiser Family Foundation, a proporção de adultos que afirmam ter recebido pelo menos uma dose de uma vacina ou que pretendem fazê-lo o mais rápido possível aumentou de 61% em março para 64% em abril. 

O grupo de pessoas que deseja "esperar para ver" antes de ser vacinado - uma parcela que vinha constantemente a diminuir de tamanho há vários meses - permaneceu quase o mesmo em abril (15%), em comparação com março (17%).