Um homem foi baleado no rosto enquanto segurava o filho, de apenas cinco semanas, dentro de casa este sábado, em Oakland, na Califórnia.

De acordo com o ABC News, apesar do homem ter sobrevivido, foram disparados vários tiros contra a habitação, levando a um clima de insegurança por parte da família da vítima, que acredita tratar-se de um crime de ódio.

Jimmie, companheiro da vítima, contou que o homem estava a segurar o filho de cinco semanas quando a casa foi alvo de um tiroteio. O bebé ficou com pequenas escoriações no rosto.


“Não acredito que tenha sido um crime praticado de forma aleatória e estou a tentar perceber se atacaram a nossa casa, com o nosso filho de meses e a nossa filha de quatro anos no interior, por sermos gays”, explicou Jimmie.

De acordo com a mesma fonte, a polícia de Oakland confirmou o tiroteio, mas não avançou se este está ou não a ser tratado como se de um crime de ódio se tratasse.

Até esta terça-feira, ainda não tinha sido detido nenhum suspeito. As autoridades locais avançaram ainda dados oficiais que dão conta de, na última semana, terem morrido duas pessoas vítimas de atos de violência.

A polícia de Oakland está ainda a investigar 117 homicídios e 48 casos de tiroteios.

Redação / BMA