Pelo menos oito pessoas morreram na sequência de disparos de arma de fogo numa escola em Kazan, no centro da Rússia. Inicialmente, o número avançado era de 11 vítimas mortais, mas foi entretanto atualizado. 

Segundo a imprensa local, o atirador, um adolescente de 19 anos, foi capturado pelas autoridades. Era ex-aluno da escola e tinha recebido a licença para porte de arma no final do mês passado, a 28 de abril.

As forças da ordem prenderam um adolescente, que está na origem dos disparos", disse uma fonte dos serviços de emergência. 

Segundo os serviços de socorro, citados pela Interfax, morreram oito alunos - quatro rapazes e três raparigas - e um professor. Os alunos frequentavam todos os 8.º ano e a tragédia aconteceu no terceiro andar do edifício. 

Sabe-se também que 16 pessoas ficaram feridas - 12 crianças e quatro adultos - e foram todas encaminhadas para o hospital. 

Nós sentimos uma explosão no edifício da escola e vimos fumo", disse uma testemunha não identificada pela Ria Novosti.

 

Eu estava numa aula e apercebi-me de uma explosão", confirmou um professor à agência TASS. 

Nas redes sociais estão a circular vídeos da detenção de um dos atiradores. As motivações do ataque são ainda desconhecidas. 

Segundo as autoridades, algumas crianças foram retiradas da escola, mas outras continuam no interior do edifício.

As autoridades reforçaram a segurança nos estabelecimentos de ensino de Kazan, a 700 quilómetros a oeste de Moscovo.

LEIA TAMBÉM:

A polícia iniciou uma investigação sobre o ataque contra a escola 175 de Kazan, no Tartaristão, uma região maioritariamente habitada por muçulmanos.

Na altura do ataque estavam no edifício 714 crianças, 70 funcionários, entre os quais 52 professores.

Entretanto, o Ministério do Interior disse que está a ser organizada uma operação antiterrorista na zona.

Cláudia Évora / Notícia atualizada às 11:08