Depois do contratempo de terça-feira, parece que a espera está prestes a terminar para que a Brigada de Salvamento Mineiro entre em ação e resgate Julen. A equipa de mineiros saiu, esta quarta-feira de manhã, do hotel em Málaga e dirigiu-se, em três carros da Guardia Civil, para Totalán, onde chegaram cerca das 10:00 (hora local, 9:00 em Lisboa).

Assim que o túnel vertical estiver entubado, a equipa de mineiros entra em ação. Dois dos operacionais vão descer na cápsula até aos 60 metros e depois vão escavar a galeria horizontal com três a quatro metros, em turnos de uma a duas horas, até chegar ao furo onde caiu Julen.

Os trabalhos devem durar 20 a 24 horas, se tudo correr como esperado.

"Se é duro para as máquinas, imaginem para os braços", desabafou um dos mineiros ao jornal local Sur. 

O túnel por onde vão entrar tem apenas 1,5 metros de diâmetro. A cápsula, criada especificamente para este resgate, tem 1,05 metros de diâmetro, 2,5 metros de altura, e pesa 300 quilos. Será utilizada como elevador e manobrada através de uma grua.

A galeria será escavada de forma manual e será inclinada para que os escombros possam ir caindo para o fundo do túnel vertical e será ancorada com estacas de madeira para que não desabe. 

Apesar de a equipa já estar a postos não se sabe, no entanto, quando é que a última fase da operação vai arrancar. 

Julen, de dois anos, caiu num furo de prospeção de água às 14:00 de dia 13 de janeiro e, desde então, uma centena de pessoas participam da operação de resgate da criança.

Na passada quarta-feira, as autoridades espanholas localizaram vestígios biológicos que permitem ter a certeza de que o pequeno Julen está mesmo dentro do furo. 

Esta terça-feira, a justiça espanhola abriu uma investigação para conhecer as circunstâncias exatas em que o bebé de dois anos caiu no furo.