Uma rapariga de 26 anos desaparecida no Vietname pode estar entre as 39 pessoas encontradas mortas num camião em Essex, no Reino Unido.

Familiares da vietnamita desaparecida, identificada como Pham Thin Tra My, disseram que a jovem contactou a família na quinta-feira à noite e, desde então, não conseguiram voltar a falar com ela. A família revelou ainda que tinha pago 30 mil libras (cerca de 35 mil euros) para que Pham entrasse ilegalmente no Reino Unido.

Hoa Ngheim, coordenadora da instituição Human Rights Space, partilhou nas redes sociais uma fotografia da jovem, juntamente com uma captura de ecrã das últimas mensagens que Pham Thin Tra My enviou, em pânico, à família.

Na captura de ecrã partilhada, lê-se: “Desculpa, mãe. O meu caminho para o exterior não teve sucesso”.

 Captura de Ecrã da última mensagem enviada pela rapariga vietnamita 

Mãe, eu amo-te tanto! Estou a morrer porque não consigo respirar.. Sou de Nghen, Can Loc, Ha Tinh, Vietname… desculpa, mãe”, diz ainda a mensagem partilhada pela instituição Human Rights Space.

 Hoa Ngheim revelou que a mensagem foi enviada no dia 23 de Outubro e recebida de madrugada pela mãe de Pham no Vietname.

Pham Thi Tra My viajou até à China e planeou chegar ao Reino Unido pela França, disse-me um contacto da família dela. A família dela está à procura de informações que ajudem a identificar a filha entre as 39 pessoas encontradas mortas”, afirmou  Hoa Ngheim

Mimi Vu, uma especialista em tráfico humano de vietnamitas no Reino Unido e na Europa, admite que as mensagens pareciam ser autênticas. Ao jornal The Guardian, explicou que a jovem desaparecida “escreveu o nome dela e o país de origem, o que é muito importante para informar as pessoas do local onde deve ser enterrada. É importante que o corpo regresse ao sítio onde ela nasceu”.

Segundo a BBC, outros dois vietnamitas disseram que os seus familiares, um homem de 26 anos e uma rapariga de 19 anos, também estavam desaparecidos.

A polícia de Essex confirmou esta sexta-feira que todas as vítimas encontradas eram de nacionalidade chinesa. No entanto, é possível que outras pessoas de diferentes nacionalidades tenham conseguido passaportes falsos para entrar no camião com destino ao Reino Unido.

O camião com 39 cadáveres foi encontrado na madrugada desta quarta-feira em Essex, no sudeste do Reino Unido. 

Também esta sexta-feira, a polícia anunciou que foram detidas mais duas pessoas, um homem e uma mulher, ambos com 38 anos, por suspeitas de tráfico de pessoas e homicídio involuntário. De acordo com o jornal The Guardian, que cita uma televisão búlgara, os detidos são a antiga dona do camião, Joanna Maher, e o marido, Thomas, chefe da empresa de transportes.