O “embuste” que Donald Trump diz ser o aquecimento global pode chegar a tribunal no próximo ano por causa dos “miúdos do clima”. Pelo direito a viverem num país habitável, 21 crianças alegam que os seus direitos constitucionais à liberdade e propriedade nos Estados Unidos estão a ser violados pelas alterações climáticas.

Na quinta-feira, um juiz indeferiu o pedido do Governo para arquivar o caso “climate kids”, o que significa que a ação dos mais pequenos poderá ir a tribunal no próximo ano, no Oregon, noticia a CNN nesta sexta-feira.

Os requerentes, com idades entre os 9 e os 20 anos, alegam que o Governo está a fazer muito pouco contra o aquecimento global e que, pelo contrário, até contribui para a ameaça, ao arrendar propriedades do Estado para extração de combustíveis fósseis.

As crianças e os seus advogados, do Our Children’s Trust, inicialmente entraram com uma ação contra a administração Obama, mas, com a eleição de Trump e a chegada à Casa Branca a 20 de janeiro, o novo Presidente poderá ser automaticamente “arguido” no processo. No entanto, o grupo vai tentar que o caso seja decidido até àquela data.

De acordo com uma representante dos queixosos, Julia Olson, Barack Obama “implementou muitas políticas ambientais e Donald Trump vai ter o poder, como prometeu já, de desfazer muitas dessas políticas”, como o acordo de Paris, alcançado no ano passado.

“Está nas mãos dos nossos tribunais protegerem a nossa posteridade”, afirmou, lembrando que “Obama tem ainda uma pequena janela de oportunidade para assegurar um legado de proteção ambiental a longo termo ao proteger os direitos constitucionais das crianças americanas”.

“Contudo, se não o fizer, estamos prontos para levar o caso a tribunal contra Trump e, perante um juiz, a administração Trump não poderá perpetuar a negação das alterações climáticas”, argumentou Julia Olson, referindo-se à expressão “embuste” usada pelo republicano para classificar o aquecimento global.

Outro dos argumentos dos “miúdos do clima” é o de que as crianças têm mais a perder no que respeita ao aquecimento global que os adultos, uma vez que vão viver mais tempo, mas não podem votar nem decidir nestas matérias.

Umas das promessas de Trump que mais chocou a comunidade internacional foi a de rasgar o tratado de Paris quando chegasse ao poder, um acordo transformado em lei internacional, depois de 195 países, incluindo Estados Unidos e China, os dois mais poluidores do mundo, se terem comprometido em reduzir as emissões e a baixar a temperatura do planeta até dois graus.