Os Estados Unidos validaram esta quinta-feira a venda à Ucrânia do lançador de mísseis anti-tanque Javelin, mencionada na conversa telefónica entre Donald Trump e o presidente ucraniano Vladimir Zelensky, que originou o processo de impugnação do presidente americano.

O Departamento de Estado informou oficialmente o Congresso da intenção da administração Trump de prosseguir com a venda de 150 mísseis Javelin, num valor de 39,2 milhões de dólares (perto de 36 milhões de euros), revelaram fontes diplomáticas.

Donald Trump está a enfrentar um inquérito para destituição no Congresso, depois de ter sido alvo de uma denúncia de ter pressionado o Presidente ucraniano para investigar a família Biden e os seus negócios na Ucrânia, sendo acusado de abuso de poder presidencial para prejudicar um adversário político.

O Presidente norte-americano nega ter tido algum gesto inapropriado junto de Zelenskiy, dizendo que tudo não passa de uma "caça às bruxas", destinada a prejudicar a campanha para a sua reeleição em 2020.

Trump tem pedido para que as autoridades e os média investiguem uma alegada pressão de Joe Biden, quando era vice-Presidente de Barack Obama, para travar um inquérito na Ucrânia sobre os negócios do filho com uma empresa ucraniana, e as influências para o ajudar em negócios na China.