Veterinários do governo do Reino Unido mataram esta terça-feira Geronimo, uma alpaca macho que foi diagnosticada com tuberculose bovina, e que saltou para a ribalta depois da decisão ter provocado indignação junto de grupos ativistas pelos animais.

Vários veterinários chegaram à quinta onde estava o animal, em Gloucester, para depois o levarem, numa cena que foi testemunhada por vários jornalistas, e que está documentada na galeria associada ao artigo.

No local estiveram também ativistas, que acamparam na quinta onde estava Geronimo, protestando contra a morte da alpaca.

O Departamento do Ambiente, Alimentos e Assuntos Rurais do Reino Unido confirmou que o animal foi eutanasiado esta terça-feira, devendo agora ser autopsiado.

Apesar de Geronimo ter testado duas vezes positivo para tuberculose bovina, a sua dona, Helen Macdonald, afirma que os testes foram dois falsos positivos, exigindo a realização de um terceiro teste.

O governo recusou agir de boa-fé", afirmou, a partir do local.

Vários veterinários acabaram por apoiar a casa, mas um tribunal rejeitou o pedido da mulher, que queria uma suspensão da decisão inicial, que agora se consumou.

A tuberculose bovina é uma doença que pode devastar gados e provocar vários prejuízos. De modo a parar esta praga, o Reino Unido tem aplicado medidas agressivas, tendo matado cerca de 27 mil cabeças de gado em 2020 para controlar eventuais surtos.

António Guimarães