O resgate de Julen entrou na reta final. Dentro de poucas horas, os oito mineiros da Brigada de Salvamento Mineiro de Hunosa entrará no túnel vertical paralelo para finalmente descer até onde vão escavar a galeria vertical para chegar a Julen.

Na quarta-feira, a equipa de mineiros já tinha estado junto do túnel para entrar em ação, mas novos contratempos voltaram a atrasar a operação

Segundo a subdelegaçao do Governo em Málaga, citada pelos jornais espanhóis, o processo de entubar o túnel vertical, que tem 60 metros, foi concluído durante a madrugada, faltando apenas acrescentar os 12 metros de tubo na entrada do túnel e preencher o espaço em volta desta para criar a plataforma de acesso ao mesmo. Um trabalho que deverá demorar umas três horas.

Já o trabalho dos mineiros durará entre 20 a 24 horas, no mínimo. Dois dos operacionais vão descer - equipados com máscaras, botijas de oxigénios e telefones para contacto com o exterior - na cápsula até aos 60 metros e depois vão escavar a galeria horizontal com três a quatro metros, em turnos de uma a duas horas, até chegar ao furo onde caiu Julen.

O túnel por onde vão entrar tem apenas 1,5 metros de diâmetro. A cápsula, criada especificamente para este resgate, tem 1,05 metros de diâmetro, 2,5 metros de altura, e pesa 300 quilos. Será utilizada como elevador e manobrada através de uma grua.

A galeria será escavada de forma manual - com pás e martelos pneumáticos de ar comprimido - e será inclinada para que os escombros possam ir caindo para o fundo do túnel vertical e será ancorada com estacas de madeira para que não desabe. 

O presidente do Consórcio Provincial de Bombeiros de Málaga, Francisco Delgado Bonilla, assegurou aos jornalistas que os trabalhos de resgate são "dificeís" e estão a ser feitos pelos "melhores especialistas do nosso país". 

Bonilla assegurou ainda que tudo "foi planificado para garantir a segurança" e confirmou que os bombeiros estão a postos para ajudar a equipa de mineiros.

"Estamos preparados para quando chegar a nossa hora de atuar, em conjunto com os mineiros que são os que têm que realizar o trabalho, prestar-lhes todo o apoio técnico e logístico necessário", acrescentou.

Julen, de dois anos, caiu num furo de prospeção de água às 14:00 de dia 13 de janeiro e, desde então, uma centena de pessoas participam da operação de resgate da criança.

Na passada quarta-feira, as autoridades espanholas localizaram vestígios biológicos que permitem ter a certeza de que o pequeno Julen está mesmo dentro do furo. 

Esta terça-feira, a justiça espanhola abriu uma investigação para conhecer as circunstâncias exatas em que o bebé de dois anos caiu no furo.