Cevher Toktas, jogador turco de 33 anos, confessou ter assassinado o filho, de apenas cinco anos, no hospital em que a criança estava a ser observada por suspeitas de covid-19.

Agora nos campeonatos amadores, a jogar no Bursa Yildirim, mas com passagem pelo principal escalão do futebol turco,  Cevher matou o filho a 23 de abril, o dia em que a criança foi hospitalizada, mas só confessou o crime onze dias depois.

Às autoridades, o futebolista confessou ter colocado asfixiado o filho, Kasim, ao colocar-lhe uma almofada na cara durante quinze minutos.

A criança ainda foi levada para a Unidade de Cuidados Intensivos, mas acabou por falecer uma hora e meia depois.

A morte foi atribuída a problemas respiratórios, e o funeral realizado no dia seguinte. Cevher não terá contado nada à esposa, nem a qualquer outra pessoa, mas no dia 4 de maio decidiu confessar o crime às autoridades.