É um sapo difícil de engolir. A solução para a fome na Somália que ameaça milhões de pessoas, especialmente crianças, passa por conseguir «entendimentos» com os terroristas e as organizações humanitárias de modo a conseguir que os alimentos cheguem ao seu destino, segundo escreve a CNN.

A fome que ataca na Somália ameaça regiões controladas pelo grupo militante islâmico al Shabaab, que jurou lealdade à Al Qaeda e é designado um grupo terrorista pelos Estados Unidos Este grupo já recusou várias vezes que as organizações de ajuda humanitária chegassem à população carenciada, apelidando-as de como espiões ocidentais e cruzados cristãos.

Em Janeiro de 2010, o Programa Mundial de Alimentos da ONU retirou os seus trabalhadores para fora da região depois de terem sido ameaçados e hostilizados pelo grupo. A saída agravou uma situação já lamentável. Agora a situação parece ter mudado com o grupo terrorista al Shabaab a afirmar que está disposto a autorizar que os grupos de ajuda cheguem a áreas que controla.
Redação / CLC