A prémio Nobel da Paz Aung Aang Suu Kyi vai efetuar em junho a sua primeira viagem internacional, após quase duas décadas de prisão domiciliária em Myanmar. Visita Oslo e Oxford a convite da Noruega e do Reino Unido.

Durante anos recusou a saída do país com receio que o regime militar impedisse o seu regresso a casa.

Em 99, a junta militar propôs a sua libertação para acompanhar o marido que morreu de cancro no reino unido. Suu Kyi rejeitou.

A Nobel, de 66 anos, foi detida pelos militares a primeira vez em 1989. Passou os últimos 15 anos detida em casa até ter sido libertada em novembro de 2010.

As reformas democráticas registadas desde então permitiram que fosse eleita já em abril para o novo parlamento, após cinco décadas de ditadura militar.