A ministra das Finanças timorense, Emília Pires, disse, esta quinta-feira, que o seu passado em prol da independência responde por si e que a divulgação da mensagem de e-mail que lhe é atribuído, a defender a integração de Timor-Leste na Austrália, é crime.

Em conferência de imprensa para «defender a honra», Emília Pires referiu estar à espera da colaboração de um perito para analisar a genuinidade do e-mail, em que alegadamente manifestava a um amigo pessoal que preferiria a integração de Timor-Leste na Austrália, durante a crise de 2006, quando ainda não era ministra.

Na sessão plenária da última segunda-feira, 10 de Maio, um deputado da FRETILIN, José Manuel Fernandes, leu uma mensagem de e-mail, de 2006, de Emília Pires, em que esta afirmava que, caso o país continuasse a ser liderado pelo primeiro-ministro Mari Alkatiri, preferiria a integração de Timor-Leste na Austrália.