Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, reunidos informalmente entre sexta-feira e este sábado em Copenhaga, concordaram em reforçar a vertente dos direitos humanos na sua política externa, que deverá ganhar forma com a nomeação de um representante especial.

No final da reunião informal de dois dias dos chefes de diplomacia dos 27, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Dinamarca, país que assegura a presidência rotativa do bloco europeu, afirmou-se muito satisfeito com o «apoio político alargado» à proposta dinamarquesa de colocar os direitos humanos no centro da política externa da União, através da elaboração de um plano de ação com medidas concretas, a ser finalizado antes do final do corrente semestre, e da nomeação de um «Representante Especial da UE para os Direitos Humanos», noticia a agência Lusa.

«Os direitos humanos devem estar na linha da frente da política externa da UE. É extremamente importante que nós, mesmo em tempos difíceis, nos mantenhamos focados nos nossos valores essenciais. A nomeação de um Representante Especial será um passo positivo e visível, que pode contribuir para novas alianças e criar um diálogo sobre direitos humanos com outros países», declarou Villy Sovndal na conferência de imprensa final.
Redação