Um jovem norte-americano percorreu as 40 mil publicações da página de Twitter de Donald Trump com o objetivo de encontrar contradições. Reunidas as mais interessantes, foi preciso pensar em que plataforma se ia apresentar ao mundo as convicções ambíguas do presidente. O resultado foi uns chinelos.

Sam Morrison, um artista e fotógrafo de Los Angeles, desenvolveu os chinelos com um tweet impresso em cada pé. O resultado mostra as duas posições antagónicas de Trump sobre um mesmo assunto.

O jovem de 27 anos produziu em setembro de 2017 mil pares de chinelos e vendeu todos em menos de um mês. De acordo com Sam, houve encomendas de 47 estados.

Percorrendo os 40 mil tweets de Donald Trump é possível encontrar opiniões contraditórias. Eu só quis destacar a hipocrisia” do presidente dos EUA, disse o criador ao Business Insider.

Uma das versões dos chinelos era sobre a Síria. Em 2013, Trump escreveu na rede social que Obama não devia atacar aquele país. Em abril de 2017, o resultado foi outro: Trump atacou a Síria.

O Colégio Eleitoral também foi uma das versões impressas nos chinelos. Em novembro de 2012 o atual presidente norte-americano escreveu que o Colégio Eleitoral era “um desastre para a democracia”. Quatro anos mais tarde, dias depois de ser eleito, Trump já disse ser “de facto, genial”.

Sam desenvolveu três versões, em cinco tamanhos, e pôs os produtos de arte provocadora à venda no site PresidentFlipFlops.com.