A comissária europeia para a Ajuda Humanitária, Kristalina Georgieva, anunciou esta quarta-feira em Bruxelas que a UE tenciona financiar com 158 milhões de euros a ajuda às vítimas da seca na África Oriental.

«A Comissão vai desbloquear uma ajuda imediata de 27,8 milhões de euros que se juntará aos 70 milhões de euros já atribuídos e iniciei um processo para mobilizar 60 milhões de euros suplementares, que aumentará a nossa ajuda a cerca de 158 milhões de euros», explicou Kristalina Georgieva durante uma conferência de imprensa que deu quando regressou da Somália e do Quénia.

Georgieva já tinha evocado estas intenções durante a deslocação à Somália e ao Quénia, designadamente quando visitou um campo de refugiados em Dadaab, no leste do Quénia, na fronteira com a Somália.

Primeiro avião com ajuda alimentar

Entretanto, uma porta-voz do Programa Alimentar Mundial (PAM) disse esta quarta-feira que a agência da ONU conseguiu finalmente dar início a ponte aérea de ajuda alimentar à Somália, após a saída do primeiro avião rumo à capital somali, Mogadíscio.

«O avião já descolou» da capital queniana rumo a Mogadíscio, confirmou à agência noticiosa EFE a porta-voz do PAM, Challiss McDonough, acrescentando que o aparelho leva a bordo «10 toneladas de suplementos alimentares para tratar crianças subnutridas».

A saída do primeiro avião de Nairobi rumo à capital somali estava inicialmente marcada para terça-feira, mas problemas burocráticos e logísticos forçaram o PAM a adiar esse transporte.
Redação / CP