A Comissão Europeia anunciou esta quarta-feira que vai cofinanciar o repatriamento de cidadãos da União Europeia (UE) que estavam a bordo do navio de cruzeiro Diamond Princess, atracado em Yokohama, no Japão, através de aviões que saem de Itália.

Após uma quarentena de duas semanas devido ao novo coronavírus (Covid-19), estes passageiros europeus vão ser repatriados em aviões italianos, sendo que a primeira aeronave já seguiu para o Japão e a segunda irá partir ainda esta noite, precisou o executivo comunitário em comunicado.

Caberá à equipa médica italiana, a bordo em cada um destes voos, avaliar os passageiros no local e “apenas aqueles que tiverem sido dados como casos negativos do Covid-19 ou que não apresentem sintomas da doença poderão embarcar” nestas operações de repatriamento, explica Bruxelas.

“Após a chegada à Europa, os passageiros iniciarão um novo período de quarentena organizado e monitorizado por cada Estado-membro”, acrescenta o executivo comunitário, adiantando que os números oficias e as nacionalidades destes passageiros só serão “conhecidos nos próximos dias”.

Cerca de 500 passageiros deixaram esta quarta-feira o navio de cruzeiro Diamond Princess, que está atracado em Yokohama, no Japão, após uma quarentena de duas semanas devido ao novo coronavírus (Covid-19).

A quarentena, muito criticada pelos passageiros confinados no navio, não conseguiu evitar o contágio de mais de 600 pessoas a bordo.

O fracasso da quarentena foi sublinhado quando as autoridades anunciaram hoje mais 79 casos de contágio pelo novo coronavírus, Convid-19, elevando o total no navio para 621.

As pessoas com testes positivos para o novo coronavírus estão a ser levadas para centros médicos para receberem tratamento.

O coronavírus Covid-19 já provocou 2.004 mortos na China continental e infetou mais de 74 mil pessoas a nível mundial.

Além das vítimas mortais no continente chinês, há a registar um morto na região chinesa de Hong Kong, um nas Filipinas, um no Japão, um em França e um em Taiwan.