É a dúvida do momento e a pergunta que todos fazem: quando vai chegar a vacina contra a covid-19? Depois do anúncio da farmacêutica Pfizer, que divulgou que o seu produto atestou uma resposta com 90% de eficácia, a Rússia revelou que a Sputnik V terá uma eficácia de 92%.

Apesar dos avanços positivos, a diretora do Centro Europeu para o Controlo de Doenças (ECDC, na sigla em inglês) afirma, em entrevista à agência AFP, que as primeiras vacinas podem chegar à União Europeia nos primeiros três meses de 2021. Contudo, Andrea Ammon refere que este é um cenário "otimista".

A responsável admite que a atual situação no continente europeu é "muito preocupante" e que "todos os indicadores vão na direção errada".

Segundo Andrea Ammon, esta segunda vaga do novo coronavírus pode ser mais duradoura que a primeira que atingiu a Europa nos meses de março e abril.

Apesar dos resultados positivos da vacina da Pfizer, as autoridades preferem avançar com cautela, querendo perceber qual o resultado final do produto desenvolvido.

Quando terminar a fase 3 dos ensaios, a Agência Europeia do Medicamento ainda vai ter de avaliar os resultados para depois emitir, ou não, uma autorização para a comercialização do produto.

Nessa altura começamos a produção e só depois podemos começar a vacinação", acrescentou Andrea Ammon.

António Guimarães