A União Europeia retirou esta segunda-feira os Estados Unidos da lista segura de viagens, voltando a recomendar restrições a viagens não essenciais

Em comunicado, o Conselho da União Europeia indica que, após nova revisão no âmbito da recomendação sobre o levantamento gradual das restrições temporárias a viagens não-essenciais para a União, atualizou a lista de países, regiões administrativas especiais e outros territórios para as quais recomenda o levantamento das restrições, tendo decidido retirar os cinco países em causa face aos mais recentes dados sanitários.

O Conselho da União Europeia ressalva que os Estados-membros continuam a ter a possibilidade de levantar restrições de viagens não-essenciais a viajantes que já estejam totalmente vacinados, mesmo que oriundos de países que não constem da lista.

O Conselho lembra que esta recomendação não é um instrumento vinculativo, mas sublinha que “um Estado-membro não deve decidir levantar restrições de viagens a países terceiros que não constem da lista” de origens consideradas seguras “antes que tal tenha sido decidido de uma forma coordenada” entre os 27.

A União Europeia colocara os Estados Unidos na lista de países “seguros” em junho passado, embora os Estados Unidos não tenham reaberto as suas fronteiras a cidadãos da União Europeia.

TVI contactou o Ministério dos Negócios Estrangeiros, que optou por não tecer comentários.