«A imprensa mundial encheu-se de relatos sobre como a primeira medida de política externa do governo do Syriza seria o veto às novas sanções à Rússia (…) O nosso ministro dos Negócios Estrangeiros, Nikos Kotzias, informou-nos que, no seu primeiro dia no cargo, soube pelas notícias que a UE tinha aprovado por unanimidade novas sanções à Rússia. O problema é que ele, e o novo governo grego, nunca foram ouvidos!»


«A questão é se a nossa visão pode ser tomada como garantida sem sequer sermos informados! Na minha perspetiva, (…) é tudo uma questão de respeito pela nossa soberania nacional».





«A preocupação de todos é mantermo-nos unidos. Não é do interesse da Grécia abrir demasiadas frentes ao mesmo tempo. Eles serão certamente suaves [com a Rússia], mas não vão travar [as sanções]», disse fonte de Bruxelas.