O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, anunciou esta segunda-feira que os chefes de diplomacia da União Europeia (UE) chegaram a um “acordo político” para impor novas sanções a responsáveis pelo julgamento e detenção do opositor russo, Alexei Navalny.

Tomámos uma decisão, demos acordo político a que se inicie um processo de sanções a personalidades russas, a designar nos canais próprios, que têm responsabilidades nas recentes violações dos direitos humanos, em particular ligadas à condenação do opositor russo, Alexei Navalny e também às restrições às liberdades fundamentais, designadamente à liberdade de manifestação e ao direito ao protesto, exercido, aliás, por dezenas e dezenas de milhares de cidadãos russos”, disse Augusto Santos Silva em conferência de imprensa após a cimeira que reuniu o conjunto dos ministros dos Negócios Estrangeiros da UE.

Santos Silva anunciou ainda que cabe agora ao Alto Representante da UE para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança, Josep Borrell, fazer uma proposta relativa aos indivíduos a serem introduzidos na lista de sanções, mas informou que será o primeiro caso de aplicação de sanções no quadro do regime que pune violações de direitos humanos, e que tinha sido aprovado pelos chefes da diplomacia europeia em 7 de dezembro de 2020.

. / HCL