A União Europeia (UE) disse hoje que já não há tempo para preparar e enviar uma missão de observação eleitoral à Venezuela, se as eleições legislativas se realizarem em 6 de dezembro.

Uma porta-voz da UE confirmou ter recebido um convite do Governo venezuelano para participar com uma equipa de observadores nas eleições legislativas, marcadas para 6 de dezembro, visando “garantias adicionais para a transparência do processo eleitoral”.

Contudo, os responsáveis europeus consideram que não há tempo para preparar uma missão deste tipo, já que o prazo restante é muito curto.

As condições mínimas devem ser cumpridas para enviar uma missão de observação eleitoral da UE. Além disso, há um longo tempo de espera antes de se poder enviar uma missão completa. Não há tempo suficiente, se as eleições forem realizadas em 06 de dezembro”, disse a porta-voz.

A UE já tinha pedido à Venezuela uma “resposta precisa (...) aos requisitos mínimos exigidos pela oposição”, quanto à realização das eleições, depois de determinar, em meados de agosto, que naquele momento não existiam as condições para enviar uma missão de observação da comunidade europeia ao país da América Latina.

As eleições legislativas de 6 de dezembro geraram uma ampla crítica em muitos setores da oposição venezuelana, que alegam a falta de garantias de democraticidade, o que os levou a qualificar essas futuras eleições de “uma fraude”.

/ BC