A Faculdade de Medicina da Universidade Livre de Bruxelas (ULB) enviou um email aos seus alunos que vão participar na cerimónia de licenciatura, com algumas indicações “não obrigatórias” do que deveriam vestir. Às estudantes foi sugerido “um vestido ou uma saia” e, ainda, um “decote revelador”. Apesar do email dizer que “não era obrigatório”, as críticas não se fizeram esperar, escreve a BBC.

De um ponto de vista estético é melhor as jovens mulheres usarem um vestido ou uma saia e, ainda, um decote revelador”, lê-se no email.

Aos jovens rapazes, para o evento no mês seguinte, foi aconselhado “um fato”. A mensagem eletrónica dizia também “claro, meninas, que estes conselhos não são obrigatórios”.

As críticas ao email foram tantas que a própria universidade divulgou uma mensagem no Facebook pedindo desculpas a todos os alunos que receberam a mensagem, em nome da Faculdade de Medicina. A ULB considerou ainda que os conselhos “foram inapropriados e iam contra os valores da instituição”.

 

Centenas de estudantes, usaram as redes sociais, principalmente o Facebook, para acusar a universidade de ser “sexista”. Além da página oficial da instituição também foram feitos comentários ao “pequeno escândalo” numa página denominada ULB Confessions.

 

Em declarações à RTL, o diretor da Faculdade de medicina, Marco Schetgen, garantiu que “não, não era mentira” e o email existia mesmo, assumindo que também tinha ficado chocado com o conteúdo. Assumiu ainda que “provavelmente” foi enviado por uma mulher, já que o secretariado da Faculdade não tem funcionários do sexo masculino.