A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, foi esta quinta-feira vacinada com a primeira dose da vacina contra a covid-19, anunciou a própria nas redes sociais, dizendo estar “muito satisfeita” por a vacinação europeia “ganhar ritmo”.

Depois de termos passado as 100 milhões de vacinas [administradas] na UE, estou muito satisfeita por ter recebido hoje a minha primeira dose contra a covid-19”, escreveu Ursula von der Leyen, numa publicação na rede social Twitter, sem especificar qual o fármaco administrado.

 

Numa mensagem acompanhada por duas fotografias do momento da vacinação, a líder do executivo comunitário assinalou que “as vacinas vão continuar a ganhar ritmo, uma vez que as entregas estão a acelerar na União Europeia”.

Quanto mais depressa vacinarmos, mais depressa poderemos controlar a pandemia”, adiantou.

Na quarta-feira, o executivo comunitário divulgou que a União Europeia (UE) atingiu as 100 milhões de doses de vacinas administradas contra a covid-19 pelos países europeus, num total de mais de 126 milhões de doses recebidas.

A ferramenta ‘online’ do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) para rastrear a vacinação da UE, que tem por base as notificações dos Estados-membros, indica que, em termos percentuais, 7,5% da população adulta da UE já está totalmente inoculada (com as duas doses), enquanto 19,5% recebeu a primeira dose da vacina, ainda longe da meta dos 70% estipulada pela Comissão Europeia para final do verão.

A campanha de vacinação da UE tem sido marcada por atrasos na entrega de vacinas por parte da AstraZeneca e agora da Janssen (grupo Johnson & Johnson), depois de terem sido registados casos raros de formação de coágulos sanguíneos após a toma de ambos os fármacos.

Atualmente, estão aprovadas quatro vacinas na UE: Comirnaty (nome comercial da vacina Pfizer/BioNTech), Moderna, Vaxzevria (novo nome da vacina da AstraZeneca) e Janssen.

/ CE